março 28, 2013

Feliz Páscoa!

fevereiro 26, 2013

Brasil | Harlem Shake Tudo é Design | BH Belo Horizonte

janeiro 14, 2013

A gestão do conhecimento, o capital intelectual e os ativos intangíveis no eterno presente das conexões imediatas

Knowledge management, intellectual capital and intangible assets in the eternal present of immediate connections

por  Aldo de Albuquerque Barreto

Resumo: A consciência traduz e define a apropriação do conhecimento quando – recorda, presta atenção e espera – esta intermediação acontece em um momento do presente. É um estado de vivência provisória e ocorre quando acontece a passagem da informação para conhecimento. Assim a cognição dos conteúdos se processa em um tempo do presente cada vez mais alongado pela velocidade dos acessos e a sensibilidade das conexões imediatas, em um processo que se inicia no tempo cronológico da agregação de estoque de conteúdos de informação. O grande temor é não conseguir acompanhar a rapidez dos eventos neste processo e ficar para trás, sobrecarregado de ativos de conteúdos imateriais, que podem ficar indesejáveis se não forem trocados devidamente. A riqueza que temos aderente vem destes ativos intangíveis trocados para conhecimento. Entendendo, contudo que o procedimento se inicia no labirinto da inconstância dos significados da informação armazenada.
Palavras Chaves: Suficiência da informação; Economia da Cognição Conteúdos de informação; Conhecimento intangível; Ativos imateriais; Capital intelectual.

Ver Mais…

novembro 22, 2012

É preciso reservar sempre um lugar para o efêmero e o imponderável

O homem é um ser disputador. Cada sujeito se define pelas escolhas que vai fazendo ao longo de sua vida. Para seguir os caminhos que vai escolhendo, é obrigado a enfrentar as resistências que sempre aparecem e nenhum objetivo importante é alcançado sem alguma luta, conflito consigo mesmo e com os outros. Somos seres contraditórios, não conseguimos viver sem conquistas e lutas.

Mas temos, ao menos, a possibilidade de decidir, nos limites da situação, quais as batalhas que vamos travar, quando e como as travaremos. Há batalhas que nos dignificam e outras que nos amesquinham. E estas serão sempre nossas opções. Às vezes, os conflitos aparecem com tanta força que dão a impressão de não deixar espaço para qualquer escolha. Mas se observarmos esses casos, verificaremos que sempre se pode fazer alguma coisa, pois a condição de tomar iniciativas nunca é anulada.

Ninguém gosta ou quer desistir da sua posição, principalmente, se esteve na preparação da coisa. Nesses momentos a sensibilidade e a razão lutam na consciência para prevalecer. Mas, acho que nas atividades da vida é preciso reservar sempre um lugar para o efêmero, aquilo que existe mais vai desaparecer; e “o imponderável como o exato momento em que a alma está suspensa no vazio entre dois estados, o exato momento em que a flor irá fenecer” (Barthes)

Haverá, sempre, a razão corajosa para resistir a uma realidade que se mostra forte e poderosa, seja por tradição ou formalidade, não porque ela seja melhor, mas porque ela assim o é. Mas é preciso e saudável ser coerente em sua história de vida e se posicionar contra a razão interna desta realidade.

Aldo Barreto

Obs.: Usamos nesta reflexão inspiração do artigo de Leandro Konder no Jornal O Globo de 04/02/02,”Queres servir-me” e os conceitos de Ma e Utsoroi como usados por Barthes em “A Prepara do Romance”

Imagem de James Mlaker, fotografo digital e de computação gráfica dos EUA

outubro 12, 2012

Como a inovação é mais poesia do que a ciência

Poesia não é sobre palavras. A poesia é sobre as palavras certas. A inovação não é sobre idéias. Inovação é sobre as idéias certas. Inovadores precisam selecionar cuidadosamente as características, funções ou experiências que compõem um novo produto, processo ou serviço. Como poetas precisam de um grande vocabulário para transmitir precisamente o seu significado, os inovadores precisam de um vocabulário profundo da ciência e prática da engenharia e gestão, para a construção de seus produtos inovadores.

Leia mais

agosto 5, 2012

Cia. Brasileira de Ballet

A Cidade Global Conteúdos colabora com a CBB
Assista ao Video Institucional da Cia Brasileira de BalletImagem de Amostra do You Tube

maio 22, 2012

O Mito do Brainstorming

Para ter boas ideias e ser mais produtivo no trabalho, recorremos muitas vezes a fórmulas pré-estabelecidas. Uma delas é a do brainstorming. Outra é a crença nos espaços abertos para o trabalho integrado e maior interação entre as pessoas. No entanto, essas receitas passam a ser consideradas erradas. Novas descobertas da psicologia e da neurociência derrubam mitos em que todos acreditam. O que passa a contar é o trabalho com privacidade, a postura dos introvertidos e a importante presença daqueles “do contra” em reuniões e debates, para melhorar as ideias e a qualidade no trabalho.
ver mais

abril 10, 2012

Arte de Rua Pra Valer




Arte da melhor qualidade feita em lugares
e espaços inusitados da cidade. Formas e
cores criam imagens quase reais em fachadas,
muros, demolições e equipamentos urbanos.


do facebook para o blog – via Dom Bloch
ver mais
Ação Social

abril 8, 2012

Mudar ou Mudar

Mudar é uma necessidade e um desafio para as organizações. Algumas empresas já trazem as mudanças de modo natural em seus processos. Outras, tradicionais, se deparam com resistências e dificuldades para mudar e inovar.
Encontrar o caminho, criar o ambiente propício e quem conduza bem as mudanças é a questão.

O desafio da mudança

*Bruno Mello – 05/04/2012

Empresas bem sucedidas são aquelas que se reinventam a cada dia para continuarem sendo as mesmas. A Coca-Cola é um exemplo, assim como a Louis Vuitton

Sempre tive uma inquietação com o status quo. Por que não fazer diferente? Por que não vamos por ali? Por que não mudar? É alterando as perguntas, as respostas e os caminhos que nos transformamos em pessoas, empresas, marcas, produtos e serviços melhores. Para mim, a mudança sempre foi presente e acabou se transformando em rotina. Mas o cenário mudou depois de 12 anos de carreira, em especial dos seis últimos à frente do Mundo do Marketing.

Mudar, agora, está mais difícil. Começo a entender um pouco as multinacionais e as empresas grandes e centenárias. Porém, não há uma regra. Há diversos casos que mostram que a consistência leva ao sucesso – acredito muito nesta filosofia de gestão. O que não significa abrir mão da mudança. Bem sucedida é a empresa que se reinventa a cada dia para continuar sendo a mesma. Coca-Cola e Louis Vuitton são exemplos.

Por outro lado, também existem casos de mudanças abruptas que levaram ao sucesso. São casos de reposicionamento, como Havaianas. A regra mais implacável, no entanto, é aquela em que a empresa parada no tempo, sem mudar, fica para contar história. Para elas, deixar de se mexer custou a vida. Algumas tiveram erros de gestão, fraude. Mas a imensa maioria, na verdade, carece de um ambiente propício à mudança.

Mudar requer persistência

É um grande desafio criar esta atmosfera, que também está suscetível ao erro. Ninguém quer colocar a sua cabeça na guilhotina. Poucos têm a astúcia de um jovem e a coragem de um empreendedor. Convencer líderes calejados, e muitas vezes refratários, à mudança é difícil. “Para que mudar se sempre foi assim e deu certo?”. Alterar um processo requer paciência e, sobretudo, persistência. Quanto maior ou mais tempo a empresa e seus profissionais têm, maior é a dificuldade de pensar no novo e agir para uma nova rota. Estamos muitos assoberbados com a rotina do dia a dia. Apagamos incêndios diariamente. O planejamento de médio e longo prazo foi atropelado pelas metas trimestrais. Construir o novo está se restringindo apenas às empresas mais inovadoras, como a Apple ou mesmo à brasileira Tecnisa.

Entre as pioneiras, tem crescido o volume de investimento destinado à inovação. Seja em produto, serviço ou em comunicação, como faz a filial nacional da Fiat. Parte de sua verba de Marketing é destinada a projetos inovadores. É assim também, já há algum tempo, na Coca-Cola. Para mudar, no entanto, não existe receita.

Eu mesmo, acostumado a mudanças, tenho confessado a amigos mais próximos (e escancarado agora para o Mundo do Marketing) que estou um pouco cansado de tanta mudança. Há de se notar que todas foram fundamentais em minha jornada, algumas planejadas, outras desejadas, umas necessárias, mas todas bem sucedidas, seja porque deu certo, seja porque deu errado e aprendi. Ao mesmo tempo, tenho a consciência e busco diariamente seguir a célebre frase de Albert Einstein. “Não há maior sinal de loucura do que fazer uma coisa repetidamente e esperar a cada vez um resultado diferente”.

*Bruno Mello é formado em jornalismo pela FACHA e com MBA em Gestão de Marketing pela UFRJ.
Fonte: Marketing

março 7, 2012

Sustentabilidade pelo Mundo

Uma relação interessante de várias ações sociais, ambientais e culturais realizadas por empresas, institutos de pesquisas e ONGs, no Brasil e no mundo.
ver mais
Ação Social